O que é Coaching?

O que é Coaching?

Tem uma febre tomando a internet e as Redes Sociais. O que nós vamos fazer? Centenas de pessoas estão se denominando COACHs. O que é Coaching? É uma Religião? Uma Nova Ordem Mundial? kkk Nada disso, é apenas uma ferramenta para ajudar pessoas a alcançarem seus objetivos.

Neste artigo eu apresento de forma resumida o que é o Coaching e suas principais caracteristicas.

Quer saber mais?

Vem comigo!

Definição

Coaching significa “treinamento” e pode ser definido como uma ferramenta para o desenvolvimento humano. É uma relação profissional continua que ajuda a pessoas a produzir ótimos resultados em várias áreas de sua vida.

O coaching é uma aliança da pessoa em um processo criativo, onde esta, especialista de sua própria vida, é desafiada a novos pensamentos, criativos e inventivos, a fim de alcançar sua meta desejada, envolve a coragem de ser honesto e verdadeiro para consigo mesmo a fim de atingir seu potencial[1].

Como em qualquer construção, é uma metodologia de transformação onde, passo a passo auxilia a pessoa em um processo de conscientização, descobrindo, clareando e alinhando seus objetivos pessoais e profissionais, auxiliando na criação de soluções e estratégias através do conceito da auto responsabilidade, colocando a pessoa como o protagonista de sua história. Através de uma visão holística, o coach escuta e interage com seu cliente, ao qual nas sessões chamamos de coachee.

Qual a Origem do Coaching?

Coach é uma palavra de origem na língua inglesa que foi utilizada pela primeira vez na cidade de Kócs, Hungria, para designar carruagens de quatro rodas.

Na Inglaterra, em meados do século XVIII, começa a ter uma definição mais clara do uso do termo, pois os nobres universitários iam para suas aulas conduzidos em carruagens por cocheiros chamados de Coacher.

Com esta referência, compreende-se que para conduzir pessoas por um caminho, precisamos de um meio, uma metodologia, e estas por sua vez precisam saber o destino.

A única distinção apresentada dentro desta analogia da é que o coach é cobrado pela viagem. No caso de gestão de pessoas, o coach não é o responsável final pelas direções e decisões que se assume dentro do processo.

Na Universidade de Oxford, em meados de 1830, tal termo passa a ter sinônimo de “tutor particular”, ou “aquele que conduz e prepara os estudantes para exames”.

Desenvolvimento histórico do coaching

Acredito que todo ser humano responsável, ao ser confiada à responsabilidade de auxiliar outra pessoa em um processo de desenvolvimento fica apreensivo pelo fato de muitas vezes não conhecer todo o caminho.

Quando falamos de ajudar pessoas principalmente da mente humana, partindo de uma análise empírica, não existe nada mais complexo, instável e imprevisível do que a mente humana, não é?

No início do minha atuação como Coach tinha muitas preocupações em alguns aspectos e principalmente naqueles que eu não dominava. Porem ao conhecer o método socrático da maiêutica que “consiste na multiplicação de perguntas, induzindo o interlocutor na descoberta de suas próprias verdades e na conceituação geral de um objeto”[2],

Nesta definição, penso que a melhor figura para ilustrar um coach é uma parteira. Ela vem a clarear a função do coach que é de auxiliar seu coachee (cliente) a dar a luz. Mesmo não sendo um médico obstetra formado, ou seja, um técnico especialista na área, sua experiência em partos e técnicas em auxiliar pessoas nesta situação o habilita para a referida ocasião mesmo sem conhecer por dentro todo do processo.

Em 1950, a palavra Coaching é introduzida na literatura de negócios como uma habilidade de gerenciamento de pessoas e em 1960 em Nova York aplicou-se um programa educacional da cidade.

Dez anos mais tarde, nos anos 70, passando por um período sabático de professor universitário, Tim Gallwey assumir um trabalho de professor de tênis profissional em Seasite, California, onde percebeu que na mente do seu aluno, havia algo parecido como um “comando e controle”, ou seja, um diálogo interno que interferia no aprendizado e performance. Assim começou a explicar maneiras de focar a mente dos alunos na observação direta e no “não-julgamento”. Essa nova consciência fez com que jogadores amadores desenvolvessem instinto e habilidades que jogadores experientes não possuíam. Este programa se estende para muitas outras áreas de atuação.

Nos anos 80 surge Anthony Robbins. Ele é autor do Livro Poder sem Limites (1986) e Desperte seu Gigante Interior (1991). Utilizando princípios de Programação Neuro Linguística popularizou fazendo-o um dos ícones do tema, palestrando em todo o mundo e atuando como coach de muitas figuras de expressão desde os esportes, atores até princesas e presidentes. 

O Coaching na atualidade

Atualmente o coaching utiliza muitos princípios e práticas provenientes da área esportiva. Umas das cenas de filme mais impactantes de um coaching bem sucedido é a do filme Desafiando Gigantes. Narra a história de Grant Taylor, um treinador medíocre perto de ser demitido por causa de sua performance. Ele desafia um dos jogadores do time a carregar outro por uma determinada distância. De olhos vendados e guiado apenas pela voz do seu coach, o jogador conseguiu o inesperado, atravessando o campo e mostrando a todos que é possível ir além. 

No mundo corporativo e educacional já reconhecem a profissão e sua importância, e na literatura e os nichos de atuação são crescentes e surpreendentes na sua magnitude. Estima-se que mas de 50 mil pessoas no mundo atuam como coaches e segundo dados da Maket Data Report, é o mercado que mais cresce no mundo, crescendo 18% em 2016 e movimentando quase 2,5 bilhões de dólares.

No Brasil a carreira cresceu mais de 207% e a média de remuneração varia de R$ 200 à R$ 800 por hora.

BENEFÍCIOS DO PROCESSO DE COACHING

Existem inúmeros benefícios que se conquista ao se participar de um processo de coaching, dos quais quero citar algumas premissas do processo de coaching e os Passos para se conquistar uma Vida Abundante

1° Passo: Amar a Deus sobre todas as coisas

Gratidão! Esta é fundamental para se ter uma vida plena e abundante. Ela é uma virtude e como tudo na vida podemos desenvolver. Temos inúmeras razões para sermos gratos. Se está lento este artigo você te vida, e com ela podemos conquistar tudo aquilo que desejamos!

2° Passo: Amar ao próximo

As escrituras sagradas nos mandam amar ao próximo como a nós mesmos, logo, se eu não me amo eu não posso amar alguém. Essa é uma premissa que precisa ser observada e desenvolvida, pois precisamos primeiramente desenvolver o amor próprio e consequentemente conseguiremos transbordar amor para outras pessoas.

Ninguém é uma ilha que não precisa interagir direta ou indiretamente com outras pessoas, mas lidar com pessoas não é algo simples, é um desafio, pois é muito difícil olharmos apenas para as qualidades. Geralmente focamos nos defeitos. Hoje eu quero te desafiar a focar nas coisas boas, reconhecendo as diferenças pessoais e assim consigo amar melhor.

“Os coaches são pessoas naturalmente curiosas, que escutam e fazem perguntas: até mesmo em férias, seus olhos e ouvidos estão sintonizados com o que acontece com aqueles que estão ao seu redor. Como um engenheiro que gosta de descobrir como as máquinas funcionam, um coach vê outra pessoa como um conjunto de intrigantes partes engrenadas, algumas correndo suavemente, outras precisando de um óleo extra nas partes enferrujadas”[3].

Um ponto crucial para quem deseja seguir a carreira de coach é que este precisa desenvolver empatia, ou seja, desenvolver a “capacidade psicológica para sentir o que sentiria uma outra pessoa caso estivesse na mesma situação vivenciada por ela. Consiste em tentar compreender sentimentos e emoções, procurando experimentar de forma objetiva e racional o que sente outro indivíduo”[4].

Também é requerido do coach ser um exemplo. Que ele seja uma luz da fé para tua vida do coachee, um farol para crescer a fé do outro e ajuda-lo navegar em direção de seus objetivos. É sabido que ser luz não é fácil, porem é preciso viver o que ensinamos, logo, se tenho algumas dificuldades, é preciso reconhecer e iniciar o meu desenvolvimento pessoal.

3° Passo: Doar a décima parte

Independente de sua tradição religiosa é preciso seguir alguns princípios e um deles é a doação. A doação é a maior prova de amor que podemos dar à alguém ou alguma causa.  O dinheiro é fundamental em nossa vida, mas não pode ser a razão dela. Adquirir a generosidade é uma forma de ser mais humano e assim também mais conectado ao transcendente.

4° Passo: Perdoar

O perdão é uma atitude, um processo, uma decisão, um estilo de vida. O Perdão trás a paz ao coração e sanidade a mente. Penso que a única pessoa a se beneficiar com o perdão é aquele que perdoa e não o que é perdoado, pois este, por vezes, nem imagina o mal que fez e muito menos o tamanho da lesão que causou.

Perdoar não é esquecer, não é aprovar! Porem quando você tem uma situação mal resolvida você gasta muita energia com isso, e quando perdoa isso é liberado e pode-se viver em paz. O perdão não é algo fingido, pois quando voltar ao tema vai te machucar. Não é manter uma atitude superioridade. Não é reprimir, mas acertar. Ter a consciência que ocorreu algo que desagradou mas que isso não pode te prender, é preciso acertar para prosseguir.

Benefícios a nível pessoal

Muitos são os benefícios a nível pessoal. Neste resumo quero destacar aqueles que mais me identifiquei no processo. Reconheço que o coach ajuda a organizar a visão, ter sua própria vida se reencontrando com seu próprio eu. 

Hoje atuo como Planejador Financeiro e por exemplo, na minha área, buscarei fazer tabelas para organizar a vida financeira do meu cliente em todos os aspectos de sua vida. Farei um mapa de cada etapa de sua vida, com planejamento de curto, médio e longo, para viver a plenitude de seus dias e assim quando chegar a velhice ter a certeza que fez tudo que pode e assim não carregar a culpa de não ter realizado. 

Gerar a auto responsabilidade é fundamental para o crescimento pessoal e através deste facilitar ao coachee o entendimento que não estamos aqui por acaso, temos uma missão, um propósito, e buscando o equilíbrio em todas as áreas da vida se descobrir afim de conquistar seus sonhos

Benefícios do Coaching na profissão

Coach é uma das profissões mais proeminentes com crescimento anual de 21% com um mercado médio de 2,4 Bilhões de dólares ano.

“Vivemos em tempos incertos. Ninguém pode prever com precisão o que o desenvolvimento tecnológico dos dias de hoje, globalização, mudanças demográficas e climáticas significam para o amanhã, sem falar daqui a alguns anos. Não é de se surpreender que mais pessoas do que nunca estão recorrendo a coaches para guiá-los pela vida e em transições na carreira enquanto buscam apropriar-se de seus destinos. As pessoas precisam de meios de divulgação sábios e independentes. Elas querem inspiração e motivação para trabalharem vidas que, se prediz, durarão mais do que nunca”[5].

Este excesso de informação e a virtuosidade das mudanças, fazem com que as pessoas necessitem de alguém que seja uma voz par ajuda-lo à focar naquilo que realmente é importante.

DIFERENÇAS E PROCESSO DO COACHING

Tipos de Coaching

Existem vários tipos de coaching como: Coach de Vida (Life Coach), Negócios, Executivo, Esportivo, Carreira, de Grupo e Performance, Liderança, Financeiro, Conjugal, Familiar, Espiritual, para exames e provas de concursos, de sustentabilidade e etc, cada um com suas peculiaridades e ferramentas próprias na condução dos coachees para a realização de sua visão e missão.

Existe uma diferença entre Aconselhamento, Mentoria, Consultoria, Terapia e Treinamento que eu explico melhor no artigo cujo link está logo abaixo:

O PROCESSO DO COACHING

O coach não ensina ou sugere, e essa é uma das principais diferenças das disciplinas que priorizam a transmissão de conhecimento. Este é baseado na premissa que o cliente é a pessoa capaz para resolver suas dificuldades, logo, ao invés de ensinar, o coach ajuda seu cliente a aprender a auto-avaliação.

Este é um processo e é preciso ser desenvolvidos em algumas etapas como segue:

  • Observação: Ela é uma das ferramentas mais fundamentais para se encontras as soluções.
  • Consciência: A consciência na observação permite o poder de escolha, ou seja, o coach conduz a um processo de conscientização e assim o cliente poderá escolher de forma mais eficaz as ferramentas para o seu desenvolvimento.
  • Estabelecimento de Metas: É fundamental estabelecer objetivos em qualquer processo de coaching, pois através dele somos direcionados a buscar um plano de ação.
  • Ação: Em posse de todas as informações supracitadas, é possível se ter um plano e implementar um plano de ação com alguns passos para ser seguido e assim poder ser avaliado.
  • Avaliação: Em todo o processo o feedback é fundamental para se avaliar o quando o cliente está aderente ao plano, podendo assim gerar ações corretivas para alçar a meta.
  • Ações comprometidas: Todo processo de coaching com um plano de ação comprometido e alinhado com a ação previamente estabelecida entre o coach e o cliente.
  • Feedback: Importante em todo o processo e fundamental em sua conclusão e ao meu ver para ambos, pois a avaliação posteriori ajudará o coach rever suas técnicas e ferramentas e para o cliente o feedback verificará seu progresso e/ou conclusão da meta esperada.

CONCLUSÃO

Ao assistir o vídeo acima percebi que o processo de coaching não é fazer o plano para a pessoa, como um consultor, mas é ajuda-la a desenvolver seu próprio plano através de ferramentas e suporte.

No vídeo, duas coisas me chamaram bastante a atenção:

a) a escada que foi um processo adaptado para aquela pessoa e por ela mesma através da  ferramenta concedida pelo coach, pois para alguns poderia ser fácil subir, para outros é preciso fazer de outra maneira, e também

b) o fato de após transpor aquele obstáculo o personagem olha para trás e só então, se dá conta que o emaranhado na estrada ainda estava lá, mas o coaching o ajudou a superar pois, desde do inicio ele apresentou a visão que queria supera-lo.

Estou me apaixonando cada dia mais pelo tema e pela oportunidade de ajudar pessoas a encontrarem o seu próprio caminho para o Sucesso.

Espero poder produzir bons frutos através deste estudo ajudando você a tomar a sua decisão de se desenvolver.

Vai pra Cima! Foguete não tem Ré.

Eae curtiu o artigo? Comente o que achou do tema e compartilhe com seus amigos.

Bibliografia

  • Burton, Kate (2012). Coaching com PNL para Leigos. Rio de Janeiro, RJ. Alta Books
  • Gallwey. W. Timothy (1996).  O jogo interior de tênis. Textonovo

Livros Recomendados:

  1. Coaching: A arte de soprar brasas (Leonardo Wolk);
  2. The Coaching Manual: The definitive guide to the process, principles and skills of personal coaching (Julie Starr);
  3. Learn to Coach: The skills you need to coach for personal and professional development (Nicola Stevens);
  4. Coaching, Mentoring and Managing: A Coach Guidebook (Micki Holliday);
  5. Jesús, Entrenador de Vida (Laurie Beth Jones);
  6. Coaching People (Harvard Business School Press).

[1]  Burton, Kate (2012). Coaching com PNL para Leigos. Rio de Janeiro, RJ. Alta Books,  p.9

[2] https://www.google.com.br/search?q=Mayeutica&rlz=1C1CHZL_pt-BRBR732BR732&oq=Mayeutica&aqs=chrome..69i57j0l5.488j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8#q=Mai%C3%AAutica  acessado em 12/07/2017

[3] Burton, Kate (2012). Coaching com PNL para Leigos. Rio de Janeiro, RJ. Alta Books, p. 11

[4] https://www.significados.com.br/empatia/ acessado em 13/07/2017

[5] Burton, Kate (2012). Coaching com PNL para Leigos. Rio de Janeiro, RJ. Alta Books p.1

Sobre o Autor

Rafael Mantuan
Rafael Mantuan

Planejador Financeiro Pessoal e Coach. Fundador do Instituto Sucesso e Gerente Geral

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *