Aprenda a sair do vermelho e organizar as dívidas!

Aprenda a sair do vermelho e organizar as dívidas!

E se eu te dissesse que existe uma maneira de como organizar as dívidas e talvez até pagar juros mais baratos?

Pode parecer loucura, mas na verdade não é.

Depois de anos no mercado financeiro você começa a conhecer com mais detalhes os produtos e serviços e posso te ajudar com isso.

Organizar sua vida financeira pode se tornar um grande desafio se você é uma pessoa que possui muitas dívidas.

Por isso, neste artigo, eu vou te mostrar como você pode organizar suas dívidas e sair do vermelho o mais rápido possível. Através de técnicas e métodos comprovados que farão diferença em sua organização financeira.

Então, se você quiser realmente aprender como organizar as suas dívidas e sair do vermelho, vem comigo. ( piscadela 😉 )

1. Classifique e Priorize Suas Dívidas Corretamente

como organizar as dívidas

Geralmente, ao falar sobre dívidas, as pessoas nos falam para pagar as dívidas mais caras primeiro. No entanto, na maior parte das vezes, ocorre um grande engano quanto o que seriam as dívidas “mais caras”.

Ao priorizarmos nossas dívidas devemos levar em consideração os juros pagos e não valor da dívida.

Dessa forma, a primeira dívida que deve estar na sua lista de prioridades é aquela dívida que tem os juros mais altos. Pois, ela é a que irá se multiplicar mais rápido se for paga por último.

Certa vez administrei uma empresa que estava praticamente falindo. O faturamento estava baixo e as despesas eram fixas eram altas. Pude testar a eficácia deste método fazendo primeiro uma lista com todas as dívidas, organizando elas por a) prioridade, b) juros cobrados e c) valor.

Exemplo:

No negócio que estávamos trabalhando o telefone e a internet era essencial e por isso não podia faltar. A telefonista por sua vez não era essencial. Então o que fizemos? Instalamos uma central telefônica com ramais e promovemos a telefonista para a equipe de vendas e assim ela poderia nos ajudar a buscar mais clientes para o nosso negócio, logo , deixou de ser uma despesas e passou a ser uma fonte de faturamento.

Enfim, cada um com a sua realidade, mas o primeiro passo que você deve dar para sair do vermelho é ter uma lista suas dívidas por ordem de prioridade.

Sei que isso pode assustar e até paralisar algumas pessoas, mas é extremamente importante.

Coloque tudo sobre a mesa e classifique-as por ordem de “mais cara” para com as menores juros. Veja quais são as essenciais para os supérfluos e depois se concentre nos valores em si.

Este método vai te ajudar a se concentrar no que é realmente mais importante pagar primeiro.

2. Centralizar suas despesas e receitas em datas certas

Durante muito tempo tive as minhas contas com diversas datas de vencimentos diferentes.

Era uma bagunça! Como a maior parte da minha vida fui assalariado, o crédito entrava apenas uma vez no mês. Percebi que eu perdia muito tempo olhando o extrato da conta quase todos os dias e era um aborrecimento desnecessário se eu concentrasse os pagamentos em uma única data. Tinha a impressão que sempre estava esquecendo de algo.

Comecei a ligar para os lugares que eu tinha contas para pagar e pedi para concentrarem todas no dia do pagamento ou até uma semana posterior a ele e deu super certo!

Usei essa mesma estratégia quando geri uma pequena empresa. Concentrei os recebimentos da empresa todo dia 10 e 20. Já os pagamentos reservei para todos os dias 15 e 30 do mês. Assim quando os recebimentos não eram suficientes ou não vinha, por alguma inadimplência, eu tinha tempo para cobrar os clientes ou me planejar, podendo até tomar um crédito mais barato e assim fui muito bem sucedido.

Mesmo que você seja um profissional liberal onde os recebimentos não têm uma data certa, pelo menos planeje um dia para fazer todos os seus pagamentos. Assim investirá pouco tempo para solucionar todas as pendências e fazer os seus controles.

3. Faça Portabilidade de Crédito e Pague Mais Barato

Ao ter suas dívidas devidamente anotadas, existe um método extremamente eficiente para diminuir as taxas de juros que você paga.

Com o intuito de estimular a concorrência entre as instituições financeiras, foi criada em 2013 a portabilidade de crédito. Este é um mecanismo que possibilita você transfira sua dívida para bancos com taxas mais baratas.

Ou seja, utilizando este método, você pode transferir todas as dívidas que você listou no passo anterior e pagar mais barato!

A portabilidade da dívida pode ser feita a qualquer momento, dentro de qualquer modalidade. Seja ela cheque-especial, cartão de crédito, créditos para pessoa física, financiamentos, crédito consignado, etc…

Entretanto, é importante pesquisar bastante e analisar se o banco para qual você for fazer a transferência da dívida cobra realmente juros mais baratos.

Para pesquisar as taxas praticadas entre os bancos, você pode utilizar o site do Banco Central.

Ao decidir para qual banco irá realizar sua portabilidade, consulte o banco para saber mais sobre as taxas e tarifas inclusas na contratação deste serviço.

Desta forma, você irá ter certeza de que está pagando os juros mais baixos possíveis.

4. Modere Seus Gastos e aprenda a organizar as dívidas

Em quarto lugar, para ter certeza que você irá conseguir quitar suas dívidas é necessário cortar gastos. Não adianta anotar todas as suas dívidas, organizar as datas de pagamento e não separar parte do seu orçamento para exterminá-las de vez.

Passe a controlar suas compras por impulso. Pense bem antes de adquirir um novo bem de consumo. Realmente identifique o que é Essencial e o que é um Desejo. Ouça! Tem hora pra tudo.

Pode ser que neste momento você tenha que abrir mão de algo até se restabelecer e isso não é vergonha para ninguém, pelo contrario, quando fazermos escolhas e decidimos buscar a Prosperidade Integral, muitas coisas que hoje consideramos como essenciais serão excluídas das nossas vidas e nunca mais vemos as dívidas nos assombrar.

Se você ainda faz muitas compras por impulso, uma boa dica é levar um papel com suas dívidas e sonhos anotados e deixá-lo em sua carteira. Coloque o nome e o valor de cada um. Assim, toda vez que você abrir a carteira para comprar algo novo, irá se deparar com suas dívidas e sonhos e pensará melhor.

Além disso, procure cortar gastos desnecessários em sua casa.

Despesa é igual às unhas, se você não cortar com freqüência elas vão crescer e te machucar. Acredite nisso!

Verifique maneiras de como você pode diminuir custos com luz, água, telefone, etc…

Outro ponto importante é fazer seu planejamento pessoal [Link artigo nº1]. Se você ainda não construiu isso, apenas acabar com as dívidas não vai te garantir uma boa saúde financeira.

Exemplo:

Para ter certeza que você vai conseguir economizar seus recursos e quitar suas dívidas, deixamos abaixo algumas dicas extras:

  • Economize nas compras: procure cupons de descontos através da internet e pesquise bastante antes de sair para as compras; 
  • Mude sua rotina de passeios: ao começar a organizar suas dívidas, evite sair para lugares caros, tente fazer passeios mais simples e que pesem menos em seu bolso; 
  • Compre sempre à vista: além disso, procure sempre comprar à vista. O preço pela sua pressa pode sair mais caro do que esperado no longo prazo. Aliás, nosso objetivo aqui é como organizar as dívidas e não como contraí-las não é mesmo?

Como Organizar as Dívidas – Conclusão

Com o intuito de te mostrar o caminho para organizar sua vida financeira, estas foram algumas das minhas dicas sobre como organizar as dívidas e sair do vermelho.

Lembre-se sempre que não ter dívidas não significa que você é saudável financeiramente.

Um bom planejamento financeiro é o que te mantém no caminho certo para atingir sua liberdade financeira e ter uma aposentadoria digna de quem batalhou por isso, mantendo seu padrão de vida desejado.

Em resumo, deixo abaixo as dicas para que você fixe melhor o conteúdo:

  • Liste e Priorize suas Dívidas: ordene suas dívidas de acordo com a taxa de juros cobrada de cada uma delas e quão essencial é para o seu negócio;
  • Concentre os Pagamentos e recebimentos: Deixando suas receitas e despesas em datas próximas você poderá se organizar melhor e não se esquecer daquela conta que vencerá só no outro mês.
  • Faça Portabilidade de Crédito e Pague Mais Barato: faça uma pesquisa em outros bancos sobre o valor da taxa de juros cobrada. Dessa forma, você garante que está pagando os juros mais baixos do mercado; 
  • Corte gastos e evite contrair novas dívidas: utilize tudo que você aprendeu neste artigo para evitar contrair novas dívidas, deixe seus objetivos sempre à vista para que eles o motivem a gastar menos.

Forte abraço! 

Gostou deste artigo? Deixe seu comentário e compartilho com seus amigos nas redes sociais!

Leia também Tesouro Direto – Descubra Agora Como Funciona

Sobre o Autor

Rafael Mantuan
Rafael Mantuan

Planejador Financeiro Pessoal e Coach. Fundador do Instituto Sucesso e Gerente Geral no Banco Safra

2 Comentários


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *